A evolução após o 25 de Abril de 1974

O “Movimento das Forças Armadas” (MFA) pós fim à ditadura fascista em 25 de Abril de 1974. O Partido Comunista saiu da clandestinidade, tendo aparecido como a única estrutura política organizada, apesar de estar muito pouco implantado em Portugal. A Intersindical, que havia estado na clandestinidade entre 1970 e 1974, apareceu como força sindical unitária antifascista.

Entre o 25 de Abril e o l Maio, os trabalhadores ocuparam as sedes dos antigos sindicatos corporativos (em muitos casos de uma forma espontânea) , expulsando os dirigentes fascistas e nomeando novos responsáveis. O PCP, que, imediatamente após o 25 de Abril, criou um aparelho de dirigentes permanentes em todo o território nacional, foi a força política que melhor partido tirou desta situação, tornando-se, em Setembro de 1974, a tendência maioritária no seio do movimento sindical.

As tendências políticas minoritárias no seio da Intersindical eram representadas pelos católicos progressistas e pelos socialistas. A partir de 1975, os sindicalistas socialistas, aliados a outros sindicalistas, como é caso dos que se encontravam na esfera do Partido Popular Democrático (o actual Partido Social Democrático) e a pequenos grupos marxistas-leninistas, começaram a concorrer às eleições sindicais e a controlar alguns sindicatos, especialmente no sector dos serviços (banca, seguros, escritórios, etc).

Em Julho de 1975 realizou-se o I Congresso da Intersindical. Este Congresso coincidiu com a promulgação da nova legislação sindical, a qual impunha o principio da unidade orgânica, determinando a Intersindical como ,,a central nacional única dos trabalhadores portugueses”. Aquando deste I Congresso, as correntes minoritárias, com, à cabeça, os sindicatos dos Bancários do Norte, dos Têxteis do Sul, da Confecção do Porto, de Braga e dos Ourives, contestaram radicalmente as teses colectivistas da maioria comunista, sem terem, no entanto, conseguido modificar as influências políticas no seio da lntersindical.

Partilha este artigo na tua rede...Share on Facebook149Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Email this to someone