O.E. 2022 – UM ORÇAMENTO QUE DEVERIA IR MAIS AO ENCONTRO DAS EXPETATIVAS E NECESSIDADES DOS TRABALHADORES E FAMÍLIAS

O Secretariado Nacional da UGT Portugal, reunido em Lisboa, na sede da central sindical, no dia em que se comemoram os 43 anos da sua fundação:
– Lamenta profundamente o chumbo do Orçamento do Estado para 2022 e as consequências que esse facto representa para todos os trabalhadores portugueses;
– Insta os partidos políticos com assento parlamentar a desenvolverem todos os esforços, com menos calculismo partidário e mais preocupações sociais com os portugueses, saídos de uma crise pandémica que deixou traumas, desespero, morte, dor, sacrifício e pobreza de muitas famílias, e que merecem que os seus representantes políticos se empenhem verdadeiramente em recuperar o país e governar para os seus cidadãos, com a nobreza que a política exige a quem é eleito com esse propósito – servir a comunidade, garantindo as condições para que algumas das medidas previstas no Orçamento do Estado para 2022, como é o caso do aumento do salário mínimo e das pensões, em janeiro de 2022, possam, não obstante o chumbo, ter efetividade prática.
Conheça as posições da UGT  aqui
Partilha este artigo na tua rede...Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Email this to someone