III Congresso da UGT Madeira

UGT

Estatutos Publicados no JORNAL OFICIAL III Série Número 23, quarta-feira, 2 de dezembro de 2010

III CONGRESSO DA UGT MADEIRA

Nos termos do 1º do Artigo19º dos Estatutos da UGT Madeira, convoco o congresso da União Geral dos Trabalhadores da Madeira (UGT Madeira) a realizar-se no dia 16 de fevereiro de 2019 (Sábado), pelas 9h, no Funchal, com a seguinte:

ORDEM DE TRABALHOS

  1. Abertura do congresso;
  2. Ratificação do Regimento do Congresso;
  3. Apresentação e votação do Relatório de Atividades do Secretariado da UGT Madeira, referente ao quadriénio 2014/2018;
  4. Apresentação e votação do Programa de Ação para o quadriénio 2018/2022 da UGT Madeira;
  5. Alteração dos estatutos da UGT Madeira;
  6. Eleição dos Órgãos Estatuários da UGT Madeira para o Quadriénio de 2018/2022;
  1. Secretariado;
  2. Composição do Concelho Geral;
  3. Concelho Fiscalizador de Contas;
  4. Mesa do Congresso;

Funchal, 6 de novembro de 2018

O presidente da Mesa do Congresso e do Concelho Geral da UGT Madeira

Gilberto Pita

 

versão pdf

 

Partilha este artigo na tua rede...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

TEMPO DE ANTENA UGT

TEMPO DE ANTENA UGT 26 de Outubro de 2018 – RTP 1

Informamos as organizações sindicais filiadas e os seus dirigentes que o tempo de antena da Central será transmitido amanhã (26 de Outubro), na RTP 1, imediatamente antes do Telejornal.

Cordiais saudações sindicais

Partilha este artigo na tua rede...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Carreira Especial de Fiscalização Municipal – Progressos insuficientes

 

O SINTAP reuniu, no dia 3 de outubro, com a Secretária de Estado da Administração e do Emprego Público, Fátima Fonseca, com o Secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel e com a Secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, para discussão da segunda versão da proposta de decreto-lei que procede à revisão das carreiras inalteradas da área da fiscalização municipal, estabelecendo, de forma clara, a criação de uma carreira especial de fiscalização, e a apresentação de normas sobre a descentralização de competências para a Administração Local.

Não obstante o projeto de diploma prever uma carreira pluricategorial, esta contém apenas duas categorias, enquanto o SINTAP defende a existência de três categorias, esperando-se por isso que uma nova versão do projeto de diploma, que o Governo se comprometeu a apresentar nos próximos dias, possa aproximar-se das reivindicações do SINTAP.

Relativamente aos níveis remuneratórios, que na atual versão do documento ficam aquém das expetativas, o SINTAP espera também que a nova versão do diploma possa apresentar claras melhorias.

 

 

 

 

Partilha este artigo na tua rede...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone